• Nossa Localização
    Rua Fontoura Xavier, 849 São Paulo
  • Telefone
    (11) 2079-1100

DERMATOLOGIA VETERINÁRIA, QUAIS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS ENCONTRADOS

Dog, Gatos

DERMATOLOGIA VETERINÁRIA, QUAIS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS ENCONTRADOS

O veterinário especialista em dermatologia se torna evidente quando surgem problemas pontuais nas peles dos animais.

Quem tem um pet sabe que os animais precisam de cuidados constantes para manter a sua saúde em dia.

Ter uma boa alimentação com uma ração de qualidade, consumir água regularmente, estar com suas vacinas em dia e ser levado em consultas periódicas a um veterinário de confiança. Porém, quando surge algum tipo de problema pontual, é preciso que seu animal seja levado a um especialista para que seja avaliado o que deve ser feito com ele, tenha um diagnóstico preciso e seja indicado o tratamento específico para determinada doença.

Caso apareça algo na pele do seu animal, o recomendado é procurar um profissional de dermatologia veterinária, que poderá fazer a avaliação completa e ver o que seu animalzinho tem.

Confira quais são os principais problemas tratados por esse profissional e quais são os sintomas causados por cada uma das doenças de pele em pets:

Alergia em animais

A alergia em animais é uma das doenças dermatológicas mais comuns, principalmente porque as suas causas são diversas e muitas vezes estão presentes no ambiente em que o animal vive.

Uma das mais comuns é a atopia, que ocorre quando o pet tem contato com algum alérgeno — como ácaros, bolores ou pólen, por exemplo.

O processo alérgico, nesse caso, começa pelo sistema respiratório e pode levar a reações dermatológicas, que normalmente são acompanhadas de coceira em excesso. Portanto, fique atento se o seu cachorro ou o seu gato está se coçando demais nos últimos tempos, principalmente na região facial.

Outra alergia comum é a alimentar. Algumas rações, principalmente aquelas de qualidade inferior e com excesso de corante, causam reações alérgicas cutâneas nos animais.

Há casos em que os pets também apresentam o quadro agravado em função de alimentos de origem proteica. Por isso, é importante ficar de olho e tentar substituir os alimentos com a orientação de um dermatologista veterinário caso ocorra alguma suspeita de que seja essa a causa do problema.

Em alguns casos, produtos de limpeza e aromatizantes podem ser agravantes desse tipo de reação alérgica. O tratamento muitas vezes consiste em tirar o alergênico que está causando as crises, buscando alternativas para reduzir ou eliminá-las.

Dermatite Alérgica por Picada de Ectoparasitas (DAPE)

A Dermatite Alérgica por Picada de ectoparasitas, como pulgas e carrapatos, ocorre quando esse inseto pica a pele do animal.

Quando isso ocorre, a saliva do inseto entra em contato com o organismo do cachorro e penetra alguns alergênicos. Com isso, se o animal for alérgico, ocorre uma reação alérgica ocasionado coceira.

Normalmente ocorrem algumas falhas no pelo do pet alérgico (alopecia), vermelhidão, descamação na região das costas e, em alguns casos, a DAPE é acompanhada de otite ou infecções fúngicas e bacterianas.

Quando isso acontecer, você deve levar seu animal à uma clínica veterinária, para iniciar o tratamento de dermatite e eliminar os focos de pulga ou carrapatos.

Alopecia

A doença é marcada pela ausência de pelos em determinados locais do corpo do seu pet. Muitas vezes, ela provoca sintomas de distúrbios dermatológicos ou sistêmicos. Em alguns casos, é ela mesma o problema.

A queda dos pelos é normal e natural, desde que em quantidades aceitáveis e que se acentuam em estações, como outono ou inverno.

Se você perceber que está havendo uma queda fora do normal — eliminação de tufos ou falhas no pelo do animal —, pode ser um indício de alopecia. Nesse momento, você deve procurar um profissional de dermatologia veterinária para avaliar o que pode estar causando a queda dos pelos.

Esporotricose

A esporotricose é uma doença bastante comum em gatos que possuem acesso à rua, também afetando cães.

Ela se caracteriza pela contaminação com o fungo Sporothrix schenckii, principalmente por meio de arranhões e mordidas de outro animal contaminado. Também pode ser contraída pelo solo, por espinhos e farpas com a presença do fungo.

Ela atinge não só a pele, mas também os vasos linfáticos, podendo se tornar sistêmica.

Quando o animal é infectado, surgem feridas na pele (muitas vezes com pus), que não cicatrizam e que vão aumentando com o tempo.

Ela pode evoluir e afetar até mesmo o sistema respiratório do animal, além de gerar aumento dos gânglios linfáticos. Caso você perceba esse tipo de alteração no seu pet, é de suma importância procurar o profissional de dermatologia veterinária o quanto antes.

A esporotricose é uma doença que pode avançar rapidamente e comprometer seriamente a saúde do animal, além da possibilidade de se disseminar para outros animais da sua casa e até mesmo para você.

Deve-se lembrar que a esporotricose, mesmo nos casos mais sérios, possui tratamento, e as chances de cura são altas. Por isso, cuidado com aqueles que defendem a eutanásia dos animais nesses casos.

Sarnas em animais

A sarna, infelizmente, é uma dermatite comum, principalmente em animais que convivem com outros animais.

Ela é encontrada em dois tipos: a escabiose — que é a mais clássica, transmissível entre animais, e também é uma zoonose (ou seja, é transmissível para humanos) — e a demodiciose — só transmissível de mãe para filho durante as primeiras horas de vida.

O segundo caso costuma ser mais grave que o primeiro, causando lesões mais sérias, sendo que, infelizmente, não há cura, mas há tratamento e controle.

A escabiose, causada pelo parasita Sarcoptes scabei, possui como sintomas queda de pelo, pele avermelhada, bolhas, escoriações e uma forte coceira.

Já a demodiciose é provocada por um ácaro que está presente na pele do cachorro (Demodex canis), sendo um dos problemas de pele em cães mais comuns.

Quando sua população aumenta consideravelmente e há um sistema imunológico fragilizado no animal, ocorre a crise da doença.

Seus sintomas podem ser localizados de forma que há uma alopecia pontual na região, sem coceira, ou então de forma generalizada, com manchas com prurido e até mesmo infecção de pele.

O tratamento depende do estágio da doença e também do tipo de sarna que o animal adquiriu.

Otoacaríase otodécica e demodécica

A otoacaríase otodécica é causada pelos ácaros Otodectes cynotis, enquanto a demodécica é causada pelo Demodex spp. Ambas afetam a região interna da orelha de cães e gatos, podendo causar sérios incômodos aos animais.

Os sintomas da sarna otodécica, são: excesso de cerume, coceira intensa na região, placas de cerume negras com alguns pontos brancos em movimento.

Você provavelmente também verá o animal sacudindo a cabeça constantemente em função do incômodo.

Já a demodécica pode não apresentar sintomas, com apenas excesso de cerume de cor clara ou castanha produzido na região.

Agora que você conhece as doenças dermatológicas mais comuns entre cães e gatos, fica mais fácil cuidar do seu pet, não é mesmo?

Se você gostou das nossas dicas, compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais e ajude-os a identificar os sintomas dessas doenças e incentive-os a procurar um dermatologista veterinário sempre que necessário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Empresa



Fundado em 2009, o Hospital Veterinário Itaquera assumiu o compromisso de assegurar o melhor atendimento a todos os animais e a seus donos, oferecendo os melhores procedimentos veterinários baseados no emprego de técnicas modernas e comprovadamente eficazes.

Saiba +

SOBRE A EMPRESA

Fundado em 2009, o Hospital Veterinário Itaquera assumiu o compromisso de assegurar o melhor atendimento a todos os animais e a seus donos, oferecendo os melhores procedimentos veterinários baseados no emprego de técnicas modernas e comprovadamente eficazes.

  • Rua Fontoura Xavier, 849, São Paulo
  • Contato: (11) 2079-1100 / 2073-6474 / 9.8862-6029
  • Email: gerencia@hospitalvetitaquera.com.br

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

  • 24 horas - 365 dias por anos
  • Para todos os atendimentos que seu animal precisar.